O INTERIOR CONECTADO.

11.7.15

Casal é preso suspeito de ocultar corpo de menina em Paulista

O casal dono do imóvel onde a menina Hilda Beatriz, de 2 anos e nove meses, levada da casa da tia em Pau Amarelo, em Paulista, no Grande Recife, foi encontrada morta, acabou preso neste sábado (11). O corpo da garota estava coberto por um lençol e um cobertor, enterrado em um buraco embaixo do fogão do imóvel onde o casal morava. A garota havia sido levada da casa dos parentes por um homem, que entrou no local, matou a tia dela e feriu outra tia a facadas na sexta-feira (10).

O suspeito do crime, que é vizinho das vítimas, foi preso ainda na tarde da sexta, mas negava participação e não dava informações sobre a menina. Políciais militares, auxiliados por cães farejadores, buscaram a criança por horas, só encontrando-a por volta das 22h30, depois da denúncia de uma vizinha, que os levou até a casa do homem, de 40 anos, e da mulher, de 52 anos.
Uma das informações que chegou até os policias é de que a mulher tinha um caso com o homem suspeito de matar as tias e sequestrar a criança. "Foi doloroso. Quando entrei na residência, encontrei o casal conversando como se nada tivesse acontecido", contou o sargento Everaldo Brito.

A delegada Vilaneida Aguiar acredita que o suspeito de matar a criança sabia o que estava fazendo, porque tentou despistar os vizinhos. "Ele chegou muito drogado pela manhã, mas não drogado o suficiente para pedir uma ferramenta, planejar. Ele pediu a ferramenta para escavar, para esconder, ou seja, não estava fora de si. Fingiu que ia trabalhar com a ferramenta, deu voltas na localidade. Voltou para devolver a ferramenta após o tempo que achou razoável para alegar que estava trabalhando. Enfim, ele fez tudo planejado", apontou a delegada.
Em depoimento, a mulher caiu várias vezes em contradição. Incialmente, ela alegou não saber de nada, mas em seguida afirmou que não sabia o que estava sendo enterrado. Apesar disso, o acusado foi visto entrando na casa dela com uma caixa de cerveja nas mãos e algo dentro. Ele ficou por lá até o início da tarde da sexta.
O motivo para que o suspeito espancasse até a morte a criança, matasse a tia, Janaína Azevedo, e ferisse a outra, Raquel Azevedo, ainda é um mistério para a polícia. "Tantos anos que tenho trabalhando, nunca imaginei um crime dessa forma", afirmou a delegada. Raquel Azevedo segue internada em um hospital particular.

DO G1 PE.
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

O BLOG RESERVA-SE A NÃO PUBLICAR COMENTÁRIOS COM PALAVRAS DE BAIXO CALÃO.

Teste Teste Teste Teste

Copyright © VOZ DO INTERIOR | Traduzido Por: Mais Template

Design by Anders Noren | Blogger Theme by NewBloggerThemes